Modelo de Atenção à Saúde Cuidado Integrado

Por muitos anos, o desenvolvimento de políticas de saúde no Brasil foi limitado por uma divisão entre cuidados primários, secundários e terciários. Esta divisão é em grande parte histórica e reflete antigas divisões na medicina, entretanto, não privilegia a utilização do sistema focado nas necessidades dos usuários.
A integração tem um grande potencial para redesenhar o atendimento em torno das necessidades dos usuários.
A ideia de serviços de saúde integrados não é nova. Foi a base da construção da atenção primária à saúde na década de 1980.
Parcerias entre as unidades de prestação de serviços de saúde para coordenar melhor os serviços, gastar mais em manter as pessoas saudáveis ​​e fora do hospital, e acordar prioridades compartilhadas para a saúde da população.

A integração é um imperativo necessário para enfrentar os desafios de saúde contemporâneos e futuros. A prestação integrada de assistência melhora o desempenho dos sistemas de saúde, melhorando a qualidade do atendimento e a satisfação dos usuários. A integração é alcançada por uma série de atividades coordenadas entre os profissionais de saúde que visam alcançar a continuidade do atendimento para atender às complexas necessidades de usuários. 
O sistema é transformado de múltiplas entidades separadas em um conjunto de serviços trabalhando juntos. Isso reduz a duplicação de serviços, fornece melhor acesso aos cuidados primários e melhora a qualidade do serviço prestado. 

Embora a integração seja um objetivo desejável, as evidências sugerem que existem várias armadilhas que devem ser evitadas para que o cuidado integrado seja criado com sucesso.
A literatura não apresenta um modelo único para uma integração bem-sucedida, nem existe uma base empírica firme para estratégias e processos de integração específicos. O que existe são princípios que definem áreas-chave para a reestruturação do sistema e permitem flexibilidade organizacional e adaptação ao contexto.

Estes princípios fazem parte do modelo de Acreditação Internacional de Redes Integradas – Qmentum.

Mara Machado – CKO Chief Knowledge Officer

Publicado em 14.02.2020

Papel dos Médicos na Transformação do Sistema – I
O papel do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH)

Publicações similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu