Criando o Novo Normal – A Reforma do Sistema de Saúde Pós Pandemia

Nesses últimos dias, duas questões interessantes têm sido recorrentes:

  1. As coisas voltarão a ser como eram ?
  2. Existem coisas que estamos fazendo agora que se tornarão parte do “novo normal”?

A resposta para a primeira pergunta é: certamente não. A pandemia da Covid-19 será um daqueles eventos dicotômicos que dividem a vida em antes e depois. Vamos viver com ele, aprender a nos ajustar. Pense em como era a segurança dos aeroportos antes do 11 de setembro, ou então o quão simples era fazer uma coleta de sangue antes da pandemia da AIDS.

A resposta para a segunda pergunta, por boas razões é certamente sim. As práticas de alta confiabilidade para segurança como a higienização das mãos, permanecerão. O que será redesenhado é a maneira como prestamos cuidados para fazer o que é melhor para a sociedade.

As operadoras de planos de saúde, os prestadores de serviços e as empresas contratantes (verdadeiros financiadores) já estavam procurando plataformas de atendimento conectadas para atender a todas as necessidades de saúde e sociais da população.

Com a mudança para o cuidado baseado em valor e o cuidado centrado no paciente, as empresas começarão a ver valor na integração entre os  serviços. Oferecer uma plataforma que  possa incluir atenção primária, consultas e encaminhamentos especializados, serviços de saúde mental, testes de diagnóstico e cuidados preventivos tem demonstrado atender às necessidades dos usuários e torná-los coprodutores de sua saúde.

O envolvimento do consumidor nos cuidados com a saúde continuam a crescer. A busca pelo acesso a novos canais de atendimento, até o rastreamento e o compartilhamento de dados de saúde, e o engajamento do consumidor, podem ser a chave para melhorar os resultados e reduzir os custos com saúde. Os usuários que são informados sobre sua condição e envolvidos em suas decisões de tratamento tendem a ter melhores resultados e geralmente incorrem em custos mais baixos.

A tendência não é exatamente nova, muitas empresas vinham expandindo suas plataformas há anos, em um esforço para criar um pacote mais abrangente de serviços para os consumidores.

Preparando o Redesenho para o Novo

A falta de organização, associada à desconfiança no processo de inovar, é o principal obstáculo que precisa ser trabalhado nesta reestruturação. É preciso estabelecer mecanismos transparentes que permitam um diálogo interativo genuíno sobre inovação e reforma em potencial. Se todas as partes interessadas estiverem envolvidas na discussão sobre a reforma, é mais provável que tenham um senso de propriedade sobre os resultados desse processo, que por sua vez pode facilitar a adoção e aceitação de novas estruturas, inclusive soluções de tele saúde.

A inovação impõe demandas consideráveis ​​à capacidade das organizações e dos profissionais de se adaptarem a novos requisitos. Alterar estruturas organizacionais, processos de trabalho e os comportamentos estão entre as tarefas mais difíceis de realizar para fazer qualquer melhoria na prestação de serviços de saúde e assistência social. Sem mencionar a necessidade de capacitação das equipes para os atendimentos em tele saúde e as mudanças obrigatórias dos programas de formação profissional para a nova era.

Como resultado a essa crise, grandes mudanças estão ocorrendo na economia em geral e na sociedade como um todo. Felizmente, o sistema de saúde também evoluirá, e para aqueles que estão no meio desta batalha, não há dúvida de que a prioridade imediata é clara: cuidar dos doentes.

Os tomadores de decisão e todos os envolvidos na indústria da saúde, precisam começar a considerar como as lições desta crise serão capturadas não apenas para facilitar o gerenciamento da próxima crise, mas para garantir que as operações do sistema de saúde serão aprimoradas e redesenhadas para atender as necessidades de um novo cenário pós pandemia.

Para Philip Kotler, valor é a combinação perfeita de qualidade, serviço e preço para o mercado-alvo. Se faz necessário uma nova abordagem estratégica para o setor de saúde, focada na criação de valor, de forma a melhorar o acesso aos serviços, promover a saúde, melhorar os resultados esperados pelos pacientes e ainda com redução de custos.

O Futuro do Sistema de Saúde Brasileiro
Não podemos pensar de forma linear em um mundo exponencial.

Publicações similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu