O sistema de saúde e os modelos de assistência estão passando por pressões sem precedentes. A população está crescendo e envelhecendo, e mais pessoas estão vivendo com condições complexas e de longo prazo. O financiamento está extremamente restrito e há vagas e lacunas de habilidades em toda a força de trabalho. Por décadas, tem sido amplamente aceito que a quebra das barreiras organizacionais através de uma melhor integração tem o potencial de oferecer cuidados de melhor qualidade que alcancem melhores resultados e utilizem os recursos de forma mais eficiente.

Redes de Atenção à Saúde

A acreditação de rede vai reduzir a variação no atendimento prestados nos diversos locais, para que a assistência seja sempre a mesma em todas as entradas do beneficiário na rede. Deve contribuir para a adoção de uma pratica mais integral, e, portanto, mais efetiva.

O esperado é que ocorra um caminhar do usuário na rede de serviços, que seja seguro, tranquilo, sem obstáculos, garantindo a qualidade da assistência. Os padrões do HSO – Health Standards Organization International para Redes de Atenção à Saúde atendem à crescente demanda internacional por clareza sobre os papéis e responsabilidades das instituições de saúde e os seus gestores em fornecer o apoio e a infraestrutura necessária para a excelência e melhoria da qualidade na prestação de serviços de saúde. Os padrões direcionam as funções de liderança em todos os níveis da rede. Eles esclarecem os requisitos para a gestão operacional e desempenho eficaz, estruturas de decisão, e infraestrutura necessária para impulsionar a excelência e integralidade na prestação de serviços de saúde.

Redes Clínicas

Para posicionar efetivamente para as futuras realidades dos cuidados de saúde, mantendo o foco nas operações atuais, muitos hospitais e médicos estão se voltando para a integração clínica como uma opção viável para (1) aumentar a qualidade, (2) reduzir custos e desperdício no sistema atual para manter as margens , e (3) posicionar os prestadores para assumir níveis mais altos de responsabilidade para gerenciar efetivamente a utilização e a saúde das populações no futuro.

As redes clínicas são mais comumente vistas como uma estratégia importante para aumentar a prática baseada em evidências e melhorar os modelos de cuidado. Criar alto grau de interdependência e cooperação entre os médicos para controlar custos e garantir qualidade. Trabalhando em conjunto, usando protocolos e medidas comprovados, para melhorar o atendimento ao paciente, diminuir os custos e demonstrar valor para o mercado.

O objetivo das redes clínicas é fornecer cuidados de maior qualidade. Criar uma rede com o único propósito de negociar taxas melhores não é o propósito. No entanto, as redes são recompensadas pelo valor demonstrado, que é definido como o atendimento da mais alta qualidade com o menor custo.

É imperativo que para a estruturação das redes de atenção à saúde seja investido tempo e comprometimento na busca desse modelo de atendimento, a fim de obter economia de custos. A verdadeira transformação é um empreendimento de longo prazo.

No futuro os Sistemas de Saúde estarão repletos de redes poderosas voltadas para atender às necessidades do consumidor por meio de processos coordenados. Sistemas de rede eficientes que maximizem o desempenho dos prestadores e proporcionem melhores resultados, maior satisfação, experiências de qualidade e menores custos.

Menu